sábado, abril 05, 2008

O bom vinho que ainda enobrece


Ser distante das noites apaixonadas

por aquilo que é

que foi

permanece em noites efêmeras

ao som daquela velha guitarra que foi aposentada há dez anos atrás

I never said



I never said...




Te amo

quinze minutos atrás

passaram-se dez anos em que o sol nasce tranquilo, ainda

mas as coisas mudaram

e eu não sou o primeiro a dizer isso

mas o último talvez...,esteja por vir

ficando as coisas como estão

salve-se!

Quanto a mim, não há o que se preocupar

estou conseguindo aceitar as coisas como são

A dúvida que ainda persegue, graças a Zeus!

é aquela relativa à palavra mágica que jamais nos deixa

Continue negando, meu amigo

o amor ainda está dentro de você

Falo isso porque, dentro de mim, não deixarei escapar

Não quero ser pedante

tampouco sou filósofo

isso jamais serei

não me sinto a altura

Mas na verdade, me interessa mais, literatura ficcional





8 comentários:

marina disse...

muy rico!!!
bonito, e um pouco melancólico?!
beijo

Anônimo disse...

é isso aí!
(pra nao perder a piada...sempre!)
rs
j.k.

Anônimo disse...

aliás, ja achastes esse brizolão que fica depois dos seis pontinhos?

abraco bipolar!

hahaha

j.k.

quarto 201 disse...

Ok, dessa vez não vou nem perguntar quem foi, apesar de vc adorar colocar esse tipo de questao.
Mas se esse teu (bonito) poema aí disser alguma coisa, já é meio caminho andando.
bjs

quarto 201 disse...

Eu realmente não sei como você se sente, mas há um certo rapaz que sabe. Aqui está ele: http://www.revistamoviola.com/2007/12/20/maco-desce-o-morro/
bjs

quarto 201 disse...

Well, fale-me do moço Aristeu. Será ele um primo distante do Maco? Ou um personagem abrasileirado do Jacobsen?
Suspense suspense!

quarto 201 disse...

Nao, sem aproximações entre o Fabio Reis Vianna e o Maco! É só pq os dois contos tem, sei la, um clima de perda amorosa que achei semelhantes - o que aliás não é nada incomum, não?
Ah, e não conheço o Aristeu. Publiquei lá no Moviola através da Elis, minha amiga.
bjs

senhorita feliciana disse...

literatura ficcional, vamos a ela! gostei : )